Philobiblon (sm)(tm)

Back to Search     Back to Results


ID no. of Person BITAGAP bioid 1645
Name Estêvão da Guarda, trovador
Estevan da Guarda
Sex M
Milestones Nascimento Guarda 1280 ca.
Nascimento Aragão (Reino) (Homem (1987))
Óbito 1363 ca. - 1364 ca. (Homem (1987))
Associated Persons escrivão da câmara de: Dinis (D.) o Lavrador, 6o Rei de Portugal [1279-02-16 - 1325-01-07] (Homem (1887), I: 198-99)
Affiliation trovador
Institutional Affiliation Fundador(a) da Capela de Estêvão da Guarda e D. Sancha
Author of texid 4917 Estêvão da Guarda, “A mulher de Alvar Rodrigues tomou [T/LP 30,3]” (tr. Álvaro Rodrigues), escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 4969 Estêvão da Guarda, “A um corretor a que eu vi [T/LP 30,4]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 4975 Estêvão da Guarda, “A vosso amigo amiga que prol tem [T/LP 30,5]”
texid 4829 Estêvão da Guarda, “Alvar Rodrigues dá preço de esforço [T/LP 30,1]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 4831 Estêvão da Guarda, “Alvar Rodrigues vejo eu agravar [T/LP 30,2]” (tr. Álvaro Rodrigues), escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 4219 Estêvão da Guarda, “Bispo senhor eu dou a Deus bom grado [T/LP 30,6]”, escrito/a 1330 - 1335
texid 4170 Estêvão da Guarda, “Como avẽo a Merlim de morrer [T/LP 30,7]”
texid 5734 Estêvão da Guarda, “Disse hoje el-rei Pois dom Foão mais val [T/LP 30,9]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 5724 Estêvão da Guarda, “Disse-me hoje assim um homem [T/LP 30,8]”
texid 5754 Estêvão da Guarda, “Dizem senhor que um vosso parente [T/LP 30,10]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 5812 Estêvão da Guarda, “Do que bem serve sempre oí dizer [T/LP 30,12]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 5813 Estêvão da Guarda, “Do que eu quis por sabedoria [T/LP 30,13]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 5810 Estêvão da Guarda, “Donzela quem quer que poser femença [T/LP 30,11]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 5819 Estêvão da Guarda, “Duma grão vinha que tem em Valada [T/LP 30,14]” (tr. Álvaro Rodrigues), escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 4685 Estêvão da Guarda, “Em preito que dom Foão há [T/LP 30,15]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 4689 Estêvão da Guarda, “Em tal porfia qual eu nunca vi [T/LP 30,16]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 4712 Estêvão da Guarda, “Estranha vida vivo hoje eu senhor [T/LP 30,17]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 4443 Estêvão da Guarda, “Já Martim Vasques da astrologia [T/LP 30,18]” (tr. Martim Vasques), escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 5550 Estêvão da Guarda, “Martim Gil um homem vil [T/LP 30,19]” (tr. Martim Gil de Ataíde), escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 5575 Estêvão da Guarda, “Meu dano fiz por tal juiz pedir [T/LP 30,20]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 5311 Estêvão da Guarda, “O caparão de marví [V 927; B 1322; T/LP 30,21]”, escrito/a 1328 ? - 1330 ?
texid 5368 Estêvão da Guarda, “Ora é já Martim Vasques certo [T/LP 30,22]” (tr. Martim Vasques), escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 5383 Estêvão da Guarda, “Ora senhor tenho muito aguisado [T/LP 30,23]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 5411 Estêvão da Guarda, “Ouço eu muitos de amor queixar [T/LP 30,24]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 5180 Estêvão da Guarda, “Pero el-rei há defeso [T/LP 30,25]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 5214 Estêvão da Guarda, “Pois a todos aborrece [T/LP 30,26]”, escrito/a 1325 - 1336
texid 5216 Estêvão da Guarda, “Pois cata por u me espreite [B 1314; V 919; T/LP 30,27]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 5240 Estêvão da Guarda, “Pois que te preças de haver sem comprido [T/LP 30,28]” (tr. Fernão Chancon), escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 5245 Estêvão da Guarda, “Pois teu preito anda juntando [T/LP 30,29]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 5284 Estêvão da Guarda, “Por partir pesar que sempre eu vi [T/LP 30,30]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 4305 Estêvão da Guarda, “Rui Gonçalves pero vos agravece [T/LP 30,31]”, escrito/a 1325 a quo
texid 4634 Estêvão da Guarda, “Se vós dom Foão dizedes [T/LP 30,33]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 4528 Estêvão da Guarda, “Sempre eu senhor ma morte receei [T/LP 30,32]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 4327 Estêvão da Guarda, “Um cavaleiro me disse em baldom [T/LP 30,34]”, escrito/a 1321 ? - 1340 ?
texid 4423 Estêvão da Guarda… “Vós dom Josep venho eu perguntar [T 30,35 LP 30,35 84,1]”, escrito/a 1290 ? - 1310 ?
Other Associations with Works texid 7940 Afonso IV, 7o Rei de Portugal, Lei que suaviza a lei da revindicta, escrito/a 1347-04-11
texid 17865 Dinis, 6o Rei de Portugal, Carta de doação à sua irmã, a Infanta D. Branca, da vila de Campo Maior, escrito/a 1301-07-05
texid 17868 Dinis, 6o Rei de Portugal, Carta de doação ao seu filho Fernão Sanches da Lezíria dos Portos, termo de Santarém, escrito/a 1303-08-29
texid 9525 Dinis, 6o Rei de Portugal, Lei da avença sobre os celeiros que tinham os judeus (tr. Estêvão da Guarda), escrito/a 1316-08-16
texid 9517 Dinis, 6o Rei de Portugal, Lei de anulação das dívidas dos judeus com o rei contradas antes do primeiro de agosto de 1316, escrito/a 1316-08-16
texid 7833 Dinis, 6o Rei de Portugal, Lei que determina que só o rei possa fazer cavaleiros, escrito/a 1305-05-04
texid 7840 Dinis, 6o Rei de Portugal, Lei que estabelece que na vila de Santarém estejam sempre em lugar certo, todos os dias não feriados, um alvazil e um tabelião para que os judeus pudessem fazer os seus contratos na conformidade da lei, escrito/a 1315-01-14
texid 7815 Dinis, 6o Rei de Portugal, Lei que proibe a aposentadoria de nobres que não sejam filhos legítimos em Mosteiros e Igrejas, escrito/a 1297-06-16 ?
texid 9524 Dinis, 6o Rei de Portugal, Lei sobre a anulação das dívidas dos judeus com o rei contratadas antes do primeiro de agosto de 1316, escrito/a 1318-02-22
texid 10512 Dinis, 6o Rei de Portugal, Lei sobre querelas dos abades e priores, escrito/a 1307-08-04
texid 4423 Estêvão da Guarda… “Vós dom Josep venho eu perguntar [T 30,35 LP 30,35 84,1]”, escrito/a 1290 ? - 1310 ?
References (most recent first) Neto (2018), “'Pois cata per u m'espeite' (B 1314; V 919): The Order of Alcântara and the Luso-Castilian war of 1336-1338”, Entre Deus e o Rei. O mundo das Ordens Militares 1:457-60
Wikimedia Foundation (2012-), Wikidata , n. Q3733449
Farelo (2008), “A oligarquia camarária de Lisboa (1325-1433)”, [Anexo 1] 380-84
Sodré (2007), “Ainda sobre a sodomia na sátira galego-portuguesa: a propósito da cantiga 'Do que eu Quígi, per sabedoria' de Estêvão da Guarda”, Revista do Centro de Estudos Portugueses 27:37:123-49
Martins (1999), “Da Esperança a S. Vicente de Fora: Um percurso em torno de Estêvão da Guarda”, Cadernos do Arquivo Municipal 3:10-60
Rodrigues (1997), “Estêvao da Guarda era… da Guarda? D. Sancho I não escreveu a cantiga 'Ai eu coitada como vivo'?”, Praça Velha 1:2:157-59
Sodré (2006), “A sodomia no 'jugar de palabras' de Estêvão da Guarda”, Aletria: Revista de Estudos de Literatura 13:125-32
Brea et al. (1996), Lírica profana galego-portuguesa 1:246 , n. 30
Lanciani et al. (1993), Dicionário da Literatura Medieval Galega e Portuguesa 245-46
Oliveira (1992), “Depois do Espectáculo Trovadoresco. A estrutura dos cancioneiros peninsulares e as recolhas dos sécs. XIII e XIV”, 457-59
Oliveira (1988), “Do Cancioneiro da Ajuda ao Livro das Cantigas do Conde D. Pedro”, Revista de História das Ideias 10:726-27
Homem (1987), “Um aragonês na corte portuguesa: Estêvão da Guarda (1299-1325)”, Actas das II Jornadas Luso-Espanholas de História Medieval 1:195-200
Tavani (1980-83), La poesia lirica galego-portoghese 2:1:8:18-19; 63; 77 , n. a30; c30; h30
Heur (1975), Recherches internes sur la lyrique amorureuse des troubadours galiciens-portugais (XIIe-XIVe siècles) 574 , n. 33
Pagani (1971), “Il Canzioniere di Estevan da Guarda”, Studi Mediolatini e Volgari
Note Floruit, nas cortes de D. Dinis e de D. Afonso IV.
Subject Poesia - Até 1351 - Satírica
Recursos electrónicos - Internet
Internet https://www.wikidata.org/wiki/Q3733449 visto 2021-09-23
Record Status Created 1989-08-13
Updated 2021-09-23