Philobiblon (sm)(tm)

Back to Search     Back to Results


ID no. of Person BITAGAP bioid 1323
Name Simão de Sousa (Floruit 1500 - 1527)
Simão de Sousa do Sem
Simão de Sousa de Almeida
Sex M
Milestones Floruit 1500 - 1527
Associated Persons irmão de: Pero do Sem, irmão de Álvaro Fernandes de Almeida
irmão de: Álvaro Fernandes de Almeida (Floruit 1490 - 1520?)
filho de: António da Sem, marido de Filipa de Sousa
Author of texid 18942 Simão de Sousa, “A merce que me fizestes”
texid 2408 Simão de Sousa, “A razão é já perdida [D 572 -10]”, escrito/a 1508 ca.
texid 2603 Simão de Sousa, “Aí não há salvação [D 583 -04]” (tr. Beatriz de Vilhena)
texid 3273 Simão de Sousa, “Até aqui dissimulei [D 742 -02]” (tr. Joana de Mendoça)
texid 3284 Simão de Sousa, “Bem perdido e mal ganhado [D 754]”
texid 3283 Simão de Sousa, “Descanso de minha pena [D 753]”
texid 3277 Simão de Sousa, “Diz que quem cala consente [D 747]”
texid 2626 Simão de Sousa, “Dos olhos ao coração [D 585 -06]”
texid 2435 Simão de Sousa, “É de tantas perfeições [D 573 -10]” (tr. Filipa de Abreu), escrito/a 1507 antes de
texid 3267 Simão de Sousa, “É tanto o mal que sento [D 737]” (tr. Catarina de Figueiró)
texid 3279 Simão de Sousa, “Exemplo bem verdadeiro [D 749]”
texid 2599 Simão de Sousa, “Falei só do poder seu [D 582 -30]” (tr. Beatriz de Sá)
texid 3269 Simão de Sousa, “Já muitos dias havia [D 739]” (tr. Catarina de Figueiró)
texid 3274 Simão de Sousa, “Males que não são de fora [D 743]” (tr. Joana de Mendoça)
texid 3139 Simão de Sousa, “Não deveis olhar meus erros [D 623 -08]” (tr. Jerónimo de Eça)
texid 2598 Simão de Sousa, “Não há aí tempo passado [D 582 -29]” (tr. Beatriz de Sá)
texid 3278 Simão de Sousa, “Não me podeis agravar [D 748]” (tr. Joana de Mendoça)
texid 3272 Simão de Sousa, “Não sei de mim o que fora [D 742 -01]” (tr. Joana de Mendoça)
texid 3048 Simão de Sousa, “Não sei o que nisto vai [D 618 -10]” (tr. Francisco de Viveiro), escrito/a 1510-08-08 antes de
texid 2517 Simão de Sousa, “O que é bom para viver [D 578 -06]”
texid 2474 Simão de Sousa, “O que se na vida mais preza [D 574 -20]” (tr. Beatriz de Vilhena)
texid 3271 Simão de Sousa, “O trato é assentado [D 741]”
texid 3266 Simão de Sousa, “Ó vida que se não sente [D 736]” (tr. Catarina de Figueiró)
texid 3135 Simão de Sousa, “Os teus pachecos olhei [D 623 -04]” (tr. Jerónimo de Eça)
texid 3268 Simão de Sousa, “Para me tirar a vida [D 738]” (tr. Catarina de Figueiró)
texid 3275 Simão de Sousa, “Por ter em vós esperança [D 744]” (tr. Joana de Mendoça)
texid 2572 Simão de Sousa, “Quem quiser sarar o mal [D 582 -01]” (tr. Beatriz de Sá)
texid 3282 Simão de Sousa, “Quem souber minha vontade [D 752]” (tr. Joana de Mendoça)
texid 3281 Simão de Sousa, “Se vedes pelo que faço [D 751]” (tr. Joana de Mendoça)
texid 3276 Simão de Sousa, “Senhora pois que sois presa [D 746]” (tr. Joana de Mendoça)
texid 2620 Simão de Sousa, “Senhora que aqui vejais [D 584 -14]” (tr. Guiomar de Meneses)
texid 3280 Simão de Sousa, “Senhora quem vos não viu [D 750]” (tr. Joana de Mendoça)
texid 2473 Simão de Sousa, “Tormento que atormenta assim [D 574 -19]” (tr. Beatriz de Vilhena)
texid 3270 Simão de Sousa, “Tudo se pode sofrer [D 740]”
texid 2607 Simão de Sousa, “Vossa graça e parecer [D 584 -01]” (tr. Guiomar de Meneses)
Other Associations with Works texid 3023 Aires Teles, “A mula vinha espantada [D 617 -05]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
texid 3020 Aires Teles, “Têm os mouros profecia [D 617 -02]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
texid 3029 Alexemão, “Esta moeda é de mouros [D 617 -11]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
texid 3030 António da Silva, “Galante de tais extremos [D 617 -12]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
texid 3021 Fernão de Pina, “Eu como homem teu amigo [D 617 -03]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
texid 1906 Francisco de Portugal, 1o Conde do Vimioso, “Guai de mim se não tivera [D 280]” (tr. Simão de Sousa)
texid 3083 Francisco de Viveiro, “Já não posso agradecer [D 619 -04]” (tr. Simão de Sousa)
texid 3065 Francisco de Viveiro, “Outro por me aconselhar [D 618 -27]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510-08-08 antes de
texid 3032 Garcia de Resende, “Em cavalo o grão Lobão [D 617 -14]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
texid 3031 Garcia de Resende, “Na era de Jesus Cristo [D 617 -13]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
texid 3038 Gonçalo de Sousa, Meirinho da Corte, “Porque ninguém não cometa [D 617 -20]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
texid 3019 João da Silveira, trinchante, “Tu já não te hás-de ir assim [D 617 -01]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
texid 3027 João de Abreu, “Quando entrou pelo terreiro [D 617 -09]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
texid 2933 João Gomes de Abreu, fidalgo da casa régia, “Já eu uma hora ouvi na fresta [D 611 -24]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1498-06-01 - 1498-09-08
texid 2932 João Gomes de Abreu, fidalgo da casa régia, “O de Sousa e mais do Sem [D 611 -23]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1498-06-01 - 1498-09-08
texid 3022 João Lobo, “Quero-te dar um aviso [D 617 -04]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
texid 18941 Luís da Silveira, 1o Conde de Sortelha, “Não hajais por desatino”
texid 3035 Luís da Silveira, 1o Conde de Sortelha, “Quando andaste com o touro [D 617 -17]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
texid 3036 Luís da Silveira, 1o Conde de Sortelha, “Quando vi o mensageiro [D 617 -18]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
texid 3028 Luís de Meneses, Monteiro-mor, “É tamanho enfadamento [D 617 -10]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
texid 1999 Luís Henriques, “Senhor eu vos escrevi [D 391]” (tr. Simão de Sousa)
texid 3024 Martim Afonso de Melo, “Mula mal-aventurada [D 617 -06]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
texid 3026 Pero Mascarenhas, “Em mula tanto acicate [D 617 -08]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
texid 3037 Reféns de Safim, “Vêem-se tão pouco honrar [D 617 -19]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
texid 3034 Simão da Silveira, “Julgam cá alguns juízes [D 617 -16]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
texid 3033 Simão da Silveira, “Pois que já Arquiles não és [D 617 -15]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
texid 3025 Vasco Martins de Sousa, “Contigo ninguém se apoda [D 617 -07]” (tr. Simão de Sousa), escrito/a 1510
References (most recent first) Lanciani et al. (1993), Dicionário da Literatura Medieval Galega e Portuguesa 613
Machado (1965-67), Bibliotheca lusitana historica, critica e cronologica 3:723
Record Status Created 1989-03-30
Updated 2019-01-30