Philobiblon (sm)(tm)

Back to Search     Back to Results


Work ID number BITAGAP texid 1062
Authors João Álvares, abade
Titles Tratado da Vida e Feitos do Muito Virtuoso Senhor Infante D. Fernando
Crónica do Infante Santo D. Fernando
Crónica dos Feitos, Vida e Morte do Infante Dom Fernando
Crónica do Santo e Virtuoso Infante D. Fernando

Tratado da Vida e Milagres do Infante D. Fernando
Incipit & Explicits prólogo I: Como o merecimento dos Evangelistas … que aos seus prometeu de dar boca e língua a que seus adversários não pudessem contradizer
prólogo II: Quanto são dignos de perpétua memória … meu rudo engenho segundo para tal auto pertençe
prólogo III: A memória das coisas passadas da conhecimento para as do presente … Espero que pelo seu este tratado vos seja mais apto e graçioso
texto: Aqueles havemos por escolheitos … até que o Senhor Rei encaminhasse esa capela perpétua em lembrança deste virtuoso Senhor
Date / Place escrito/a 1451 - 1460
Text Type: Prosa
Associated Persons Sobre: Fernando (Infante D.) o Infante Santo, Infante
Refere: Pero Vasques, clérigo secular
Associated Texts Contém traslado de texid 20009 Milagres do Infante Santo D. Fernando [série: SISDF]
References (most recent first) Leandro (2020), “A iniciação dos nobres nos valores da corte (Portugal/século XV)”, 16 e passim
Rodrigues (2020), “Capelães, Confessores e Esmoleres: Religiosos na Esfera do Poder Real”, 66, 206
Amaral (2019), “Os indícios da 'produção' de um santo dinástico no mosteiro da Batalha nos séculos XV e XVI”, Roda da Fortuna 365-67
Oliveira (2019-20), “O Infante D. Fernando: Príncipe e Santo na História e na Arte”, Mátria Digital passim
Beceiro Pita (2018), “La incidencia de la religiosidad en el establecimiento de las monarquías hispánicas de fines del medievo”, La espiritualidad y la configuracion de los reinos ibéricos (siglos XII-XV) 346
França (2018), “Palavras capitais na história dos reis, dos infantes e dos navegadores”, Topoi. Revista de História 19:39
Oliveira (2018), “Nascer e morrer, em Portugal na Idade Média”, Phármakon: Do Combate da Enfermidade à Invenção da Imortalidade 117
Amaral et al. (2017), “A circulação da Legenda Aurea em Portugal: estudo de caso da hagiografia do D. Fernando”, Mirabilia Journal 24:49-70
Coelho (2017), “As Feridas da Guerra no Portugal Medievo. Violência, sofrimento e cuidados médicos no campo de batalha”, 3-4, 6, Anexos LXI-LXII
Fernandes (2017), “E Depois de Tânger? O Cativeiro do Infante D. Fernando: A Construção da Imagem de um Santo”, Omni Temore. Encontros da Primavera 2014-2015 16-26, 29
Monteiro (2017), Nuno Álvares Pereira -- Guerreiro, senhor feudal, santo: os Três Rostos do Condestável 36-37,, 39
Monteiro (2017), “Prisoners of War in Portugal, 1350-1450”, e-Stratégica 257-61
Silva (2017), “Filipa de Lancáster en Portugal (1387-1415): ¿las raíces de una nueva religiosidad?”, Edad Media. Revista de Historia 104
Boissellier (2016), “O papel da instituição régia no Portugal medievo: ensaio de uma perspectiva estrutural”, Locus, Revista de História 22, n. 1:165-66
Michelan (2016), “A escrita de um feito inglório: o cerco português a Tânger, em 1437”, História e Cultura: Dossiê Os primeiros passos dos escritos em línguas vernáculas na Idade Média 5:171, 180 et passim
Pacheco (2016), “O retrato do Infante D. Fernando nas Janelas Verdes (M.N.A.A.)”, Art is On 3:81, 85-86
Humble Ferreira (2015), The Crown, the Court and the Casa da Índia. Political Centralization in Portugal 1479-1521 25-26
Fonseca et al. (2015), “Historiography and Portuguese Identity: How in Medieval Portugal the kingdom is seen through the eyes of the Iberian Peninsula”, Catalonia and Portugal: The Iberian Peninsula from the Periphery 286, 290-91
Moreira (2015), “Escatologia, redenção e memória na historiografia portuguesa do séc. XV (Crónica de 1419; Crónica do Condestabre; Tratado da Vida do Infante D. Fernando; Crónica de D. Afonso Henriques)”, Redenção e Escatologia: Estudos de Filosofia, Religião, Literatura e Arte na Cultura Portuguesa 1:2:149-
Briesemeister (2014), “Hagiografía latina y vernácula en la Peninsula Ibérica (1350-1500)”, Hagiographies. Histoire internationale […] 6:246-47
Silva (2014), “D. Duarte e os irmãos - uma educação anglo-normanda?”, D. Duarte e a sua época: Arte, cultura, poder e espriritualidade 58, 59-60
Moreira (2014), “Enquadramento da Produção Literária [Capítulo 21]”, Entre Portugal e a Galiza (Sécs. XI a XVII). Um olhar peninsular sobre uma região histórica 410
Nascimento (2014), “A relíquia do santo lenho em Portugal: narrativas de milagres”, História Revista 19:117
Silva (2014), “O regimento do corpo em Portugal no século XV”, 54
Mascarenhas (2013), “Um estudo temático comparativo entre a sacralidade do Infante Santo, d. Fernando, e o messianismo de d. Sebastião”, Revista Electrónica Discente História 1:12 pp.
Michelan (2013), “Ceuta, para além da Terra dos Mouros. A fabricação histórica de um marco do império portugueês (século XV e início do XVI)”, 60, 63, 114, 118-20, 165-66
Nunes (2012), “O culto das relíquias nas ordens militares em Portugal”, As Ordens Militares: Freires, Guerreiros, Cavaleiros. Actas do VI Encontro sobre Ordens Militares 1:225-26, 237-39
Rebelo (2012), “D. Henrique e D. Fernando - duas perspectivas cristãs do cavaleiro de Avis”, De Cavaleiros e Cavalarias 135-43
Silva (2012), A Rainha Inglesa de Portugal - Filipa de Lencastre 155-57, 163, 166, 176
Beltran i Pepió (2012), 'Don Ferrando', rei 'spectant': la connexió portuguesa del Tirant 7-8
Michelan (2011-07), A África muçulmana e a África negra no imaginário português do século XV e início do XVI
Nascimento (2011-07), O Martírio do Infante Santo e a Expansão Portuguesa (Século XV)
Michelan (2011-07), A África muçulmana e a África negra no imaginário português do século XV e início do XVI 1, 3-4
Amaral (2011), “A imagem como um poder: estudo sobre a iconografia do Infante D. Fernando de Portugal”, Aedos 3:9:66-75
Ed. parcial em: Godinho (2011), Documentos sobre a expansão quatrocentista portuguesa 1:285-88, 333, 348-49 [excertos modernizados com notas]
Rebelo (2011), “Discursos distintos para concepções diferentes da Fé cristã”, Homo eloquens homo politicus. A retórica e a construção da cidade na Idade Média e no Renascimento 47, nota 3
Rebelo (2011), “Discursos distintos para concepções diferentes da Fé cristã”, Homo eloquens homo politicus. A retórica e a construção da cidade na Idade Média e no Renascimento 47
França (2010), A representação do passado e a moral no século XV em Portugal 14:157
Amaral (2010), “A relação entre o culto ao Infante Santo e o projeto político de Avis na segunda metade do século XV”, O Portugal medieval: monarquia e sociedade 197-206
Ramos (2010), “Os Membros da Geração de Avis: amizades, inimizades e falta de exemplaridade”, Symbolon II: Inveja e Emulação 93-94
Silva (2010), Um reino, uma família, um herdeiro: os primeiros anos da dinastia de Avis (1387-1402) 22
Amaral (2009), “As discussões historiográficas em torno do Infante Santo”, Medievalista online 7:31-37
Costa-Gomes (2009), “The Royal Chapel in Iberia: Models, Contacts, and Influences”, The Medieval History Journal 12:1:90, 106
Sobral (2009), “A Retórica do Prólogo no Trautado da Vida do Infante D. Fernando”, Românica 18:11-26
Amaral (2009), “As discussões historiográficas em torno do Infante Santo”, Medievalista online 7
Rebelo (2009), “Os números da guerra e o pragmatismo do tópico dos Macabeos nos Príncipes de Avis”, A Guerra e a Sociedade na Idade Média. Actas das VI Jornadas Luso-Espanholas de Estudos Medievais 1:119-30
Amaral (2008), “O culto ao Infante Santo e o projeto político de Avis (1438-1481)”, 55-65, 114-44, 191-209, 234-35, 305-11
Costa et al. (2008), História das Ínclitas Cavalarias e Cristo, Santiago e Avis por Fr. Jerónimo Román 257
França (2007), “A história portuguesa medieval: preservação, ordenação e esquecimento”, Varia Historia 23:38:497
Rosa (2007), “Von Heiligen Grafen zum Morisken-Märtyrer: Funktionen der Sakralität im Kontext der nordafrikenischen Krieg (1415-1521) - Do 'santo conde' ao mourisco mártir: usos da santidade no contexto da guerra norte-africana (1415-1521) [em alemão]”, Novos mundos - Neue Welten: Portugal und das Zeitalter der Entdeckungen: Eine Ausstellung des Deutschen Historischen Museums Berlin in Zusammenarbeit mit dem Instituto Camões, Lissabon und der Botschaft von Portugal in Berlin [24 Oktober bis 10 Februar 2008] 93
Rebelo (2006), “O verdadeiro carácter de D. Fernando, o Infante Santo”, Humanitas
Rebelo (2001), “Martyrium et Gesta Infantis Domini Fernandi. Edição crítica. Tradução. Estudo Filológico”,
Amaral (2001), “L'image comme pouvoir: une étude sur l'conographie de l'infante Ferdinand de Portugal”, Revista Mosaico 4:1:55-66
Melo (1997), Imagens da Arte: Contributos para a historiografia da Arte em Portugal no século XV 47-48, 95
Calado (1993), “João Álvares, Frei”, Dicionário da Literatura Medieval Galega e Portuguesa 332
Repertorium fontium historiae Medii Aevi, primum ab Augusto Potthast digestum, nunc cura collegii historicorum e pluribus nationibus emendatum et auctum (1967-2007) 2:204
Martins (1959), “Trintários”, Lusitania Sacra 4:142
Santos (1927), “O Infante Santo e a possibilidade do seu culto canónico”, Brotéria 4:137-37, 198-99, 200
Sobral (2007), “Hagiografia em Portugal: Balanço e Perspectivas”, Medievalista online 3
Marques (2003), “A Pregação em Portugal na Idade Média. Alguns aspectos”, Via Spiritus 9:342
Carita (2001), “De Zurara a Rui de Pina”, História da Literatura Portuguesa. Vol. I […] 494-95
Fontes (2000), Percursos e Memória: Do Infante D. Fernando ao Infante Santo
Fontes (1998), “Frei João Álvares e a tentativa de reforma do Mosteiro de S. Salvador de Paço de Sousa no século XV”, Lusitania Sacra. 2a série 10:219
Mattoso (1996), “Le Portugal de 950 à 1550”, Hagiographies. Histoire internationale […] 2:95-96
Braga (1994), “O mito do "Infante Santo"”, Ler História 25:3-10
Martins (1980), “Frei João Álvares e a literatura dos campos de concentração”, Itinerarium
Serrão (1977), Cronistas do século XV posteriores a Fernão Lopes 45-47
Martins (1969), “Prantos na Crónica do Infante Santo e na Tragédia do Condestável D. Pedro”, Introdução Histórica à Vidência do Tempo e da Morte 1:93-103
Dinis (1965), “Carta do Infante Santo ao Regente D. Pedro, datada da Masmorra de Fez a 12 de junho de 1441”, Anais da Academia Portuguesa da História. Segunda Série 15:152-60, 163
Calado (1962), “O Infante D. Fernando e a restituição de Ceuta”, Revista Portuguesa de História 10:passim
Martins (1957), Peregrinações e Livros de Milagres na Nossa Idade Média 98-170
Martins (1951), “Peregrinações e livros de milagres na nossa Idade Média”, Revista Portuguesa de História 5:214
Ricard (1947), “Les lectures spirituelles de l'Infant Ferninand de Portugal (1437)”, Revue du Moyen-Age Latin 3:44-45, 49
Santos (1931), “D. Duarte e as responsabilidades de Tânger 1436-1438”, Brotéria 12:33-34
Santos (1930), “O Infante Santo e a Cúria Pontifícia”, Brotéria
Lopes (1926), “A propósito do Infante Santo em Fez”, Biblos 2:51, 56-57
Silva (1730-34), Memorias para a Historia de Portugal que comprehendem o governo delRey D. João I do anno de mil e trezentos e oitenta e tres até o anno de mil quatrocentos e trinta e tres 1:484
Rosa (2001-2002), “A santidade no Portugal medieval: narrativas e trajectos de vida”, Lusitania Sacra. 2a série 13-14:406
Rosa (2007 a quo), Do ‘santo conde' ao mourisco mártir: usos da santidade no contexto da guerra norte-africana (1415-1521) 6
Monteiro (2010-09), “Da Música no ámbito da Corte na Dinastia de Avis”, Diálogo e Comunicação Intercultural. A Educação com as Artes 236-37
Rangel (2010 a quo), A análise do conceito de martírio nas obras de Jacopo Varrazze e do Frei João Álvares passim
Rebelo (2001-2002), “Sob o signo do VI Centenário do Nascimento do Infante Santo (1402-2002)”, Lusitania Sacra 2a série 13-14:519, 524-25
Silva (2015), “Chronicle-Composition in Medieval Portugal. A General Outline”, Mirator 15:44
Subject Relações com a África e Ilhas
Hagiografia
Crónicas - Histórias Medievais
Milagres - Milagre
Number of Witnesses 4
ID no. of Witness 1 cnum 1907
City, library, collection & call number Madrid: Biblioteca Nacional de España, MSS/8120 (BITAGAP manid 1065)
Copied 1450 ca.
Location in witness ff. 1r-50v
Title(s) João Álvares, abade, Tratado da Vida e Feitos do Muito Virtuoso Senhor Infante D. Fernando, escrito/a 1451 - 1460
Trautado da vida e feitos do muito vertuoso senhor ifante dom Fernando, 1v
Incipit & Explicits prólogo I: [ 1r] Como o mereçimeto dos euanjelistas nõ ꝑuenhã aaq̃les que escondem o testemunho da uerdade … [ 1v] … a que seus aduersarios nõ podesem cõtradizer
prólogo II: [ 1v] Quantos som dignos de ꝑpetua memoria aqueles q̃ neste mũdo ujuerõ & obrarõ vertuosamẽte … [ 1v] … meu Rudo engenho segũdo ꝑa tal auto ꝑteeçe.
prólogo III: [ 1v] A memoria das cousas passadas da conhecimento para as do presente … [ 2v] … Espero que pelo seu este tractado uos seja mais apto e graçioso
texto: [ 2v] Aqueles auemos por escolheitos … [ 50v] … ataa q̃ o Sor Rey encamjnhase esta capela ꝑpetua em nẽbrãça deste uertuosso Senhor
Condition Falta uma fl. quasi ao final do texto (o n. 50).
References Calado (1959-60), Fr. João Álvares. Obras. Edição crítica com introdução e notas 1:1-107
Álvares et al. (1911), Chronica do Infante Santo D. Fernando. Edição crítica da obra de D. Fr. João Álvarez segundo um códice Ms. do séc. XV
Cortesão (1911), “Breves consideraçõis sôbre a Crónica do Infante Santo D. Fernando”, O Instituto
ID no. of Witness 2 cnum 1127
City, library, collection & call number : Desconhecido - Perdido ?, (BITAGAP manid 1173)
Copied Lisboa: Germão Galharde, 1527-01-18
Title(s) João Álvares, abade, Tratado da Vida e Feitos do Muito Virtuoso Senhor Infante D. Fernando, escrito/a 1451 - 1460
Cronica do sancto e virtuoso iffante dom Fernando
References Nunes (1932), Florilégio da Literatura Portuguesa Arcaica 119-22
ID no. of Witness 3 cnum 1128
City, library, collection & call number Lisboa: Biblioteca Nacional de Portugal, Res. 554 P (BITAGAP manid 1174)
Imprint Lisboa: António Ribeiro, 1577
Location in witness ff. 1r-142v
Title(s) João Álvares, abade, Tratado da Vida e Feitos do Muito Virtuoso Senhor Infante D. Fernando, escrito/a 1451 - 1460
Chronica dos feitos vida e morte do Iffante sancto Dom Fernando
Incipit & Explicits texto I: [ 1r] O Iffante Sancto Dom Fernando foy quinto genito … [ 142v] … cremos que alconçou em o ceo a bemauenturança & na terra tam famosa & sancta memoria.
texto II: [ 143r] O Jffante sancto Dom Fernando quintogenito del-Rey dom Ioam … [ 144r] … & por Pero Vaz capellão deram dous Mouros & huma Moura. LAVS DEO
References Calado (1959-60), Fr. João Álvares. Obras. Edição crítica com introdução e notas 1:111-269
Álvares et al. (1730), Chronica dos feytos vida e morte do Infante santo D. Fernando que morreo em Fez. Revista e Reformada
ID no. of Witness 4 cnum 1438
City, library, collection & call number Coimbra: Biblioteca Geral da Universidade, Ms. 1118 (BITAGAP manid 1316)
Copied Francisco Supiano, 1910
Location in witness ff. 1r-57r
Title(s) João Álvares, abade, Tratado da Vida e Feitos do Muito Virtuoso Senhor Infante D. Fernando, escrito/a 1451 - 1460
Incipit & Explicits prólogo I: [ 1r] Como o merecimẽto dos euanjelistas … [ 1r] … a que seus aduersarios nõ podessem cõtradizer.
prólogo II: [ 2r] Quanto som dignos deꝑpetua memoria aqueles q̃ neste mũdo uiuierõ e obrarõ vertuosamente … [ 2r] … meu rudo engenho segũdo ꝑa tal auto ꝑteeçe.
prólogo III: [ 2r] A memoria das cousas pasadas da conhecimẽto ꝑa as do presẽte … [ 3r] … espero que pelo seu este tractado uos seja mais apto e graçioso
texto: [ 3r] Aqueles auemos por escolheitos … [ 58r] … en nẽbraça deste vertuoso senhor.
Record Status Created 1988-07-22
Updated 2021-07-11